Abertura comercial proposta pelo Governo vai contribuir para aumentar a competitividade da indústria brasileira

  

Uma abertura comercial proposta pelo Governo, para aplicação dos efeitos da portaria 309, pode contribuir para reverter o cenário da indústria, que bateu um recorde negativo no primeiro semestre de 2019, quando o Estado de São Paulo apresentou fechamento de 2.325 fábricas. O número é 12% mais alto que o registrado no mesmo período do ano passado, segundo levantamento da Junta Comercial. 

Os dados indicam o reflexo da recessão e mostram que a economia brasileira teve uma fraca recuperação, e continua levando ao encolhimento do setor produtivo, fazendo com que diversas fábricas sejam desativadas.

O fechamento de indústrias também é decorrente da falta de investimento em máquinas e equipamentos com tecnologia de ponta, pois esse cenário impede uma produção de bens manufaturados com qualidade e competitividade, que abasteceriam o mercado interno e também trariam condições para a exportação, com destino a outros mercados do mundo que exigem padronização, normatização e fazem comparações entre as possibilidades de fornecimento nas cadeias globais.

Para que esta situação comece a ser revertida é necessário que sejam adotadas as reduções das alíquotas dos impostos de importação incidentes para os bens de capital, o que recentemente vem sendo comentado pelos investidores e indústrias no Brasil, e já foi sinalizado pela equipe econômica do Ministro da Economia, Paulo Guedes, como sendo uma das metas para implementação a partir deste ano. Essa iniciativa fará com que essas taxas sejam reduzidas da média de 14% para 4% na maioria dos casos de bens de capital – BK. 

Hoje os 14% taxados nas máquinas e equipamentos fazem com que, em muitos casos, os investimentos tenham uma carga tributária adicionada, entre os impostos federais e estaduais, gerando uma sobreposição total de até 40% no valor final dos investimentos nas fábricas e processos produtivos.

Queda de produção industrial pode ser revertida com novas iniciativas como a portaria 309

O setor industrial vem sofrendo uma constante queda de produção e fechamento de fábricas, os fatores que contribuem para o índice negativo é a estruturação econômica brasileira e a falta de investimento em tecnologias e equipamentos de ponta. Com as aplicações certas, a tendência é a inversão do cenário atual.

Com as tecnologias fornecidas e com a utilização de equipamentos que somente países que possuem grande escala de produção podem prover, será possível fabricar produtos com maiores valores agregados, que não sejam somente bens primários e de baixo valor para a balança comercial.

Após edição da portaria 309 e a regulamentação pela portaria 324, que visa reduzir o Imposto de Importação sobre bens de capital, bens de informática e telecomunicações, a projeção é o cessamento do índice negativo. O setor industrial passará a ter um indicador positivo, pois a redução das alíquotas dos impostos de importação e o reflexo da desoneração dos outros impostos que deixam de serem aplicados  possibilitam a importação de bens de capital com mais tecnologia, o que consequentemente fará a competitividade industrial aumentar.

A partir dessa mudança, nossa expectativa é que o mercado interno seja abastecido com mais rapidez e facilidade, e com e bens manufaturados finais de mais qualidade e competitividade com relação aos importados para abastecer o mercado interno e também exportados à mercados exteriores que exigem certas normatizações, padronizações, melhor qualidade e competitividade, pois o custo para investimentos em máquinas e equipamentos com alta tecnologia importada para produção nas indústrias terão o preço reduzido, com uma taxação menor de impostos.

Abimei participa do Prêmio Potência de Inovação Tecnológica realizado pela revista Potência

O presidente executivo da associação, Paulo Castelo Branco participou da cerimônia de entrega de premiação

 

No dia 24 de outubro ocorreu a cerimônia de entrega do Prêmio Potência de Inovação Tecnológica 2019, em São Paulo, no Novotel Center Norte, o evento foi uma realização da HMNews Editora e Eventos, promovido pela Revista Potência. O evento tem como objetivo reconhecer publicamente o trabalho das empresas e profissionais no desenvolvimento e disponibilização para o mercado brasileiro de inovações tecnológicas, incluindo diversos campos da eletricidade e iluminação.

Paulo Castelo Branco, presidente executivo da Abimei (Associação Brasileira dos Importadores de Máquinas e Equipamentos industriais), foi convidado para entregar a premiação do troféu Bronze, na categoria “automação predial”, para Camila Guerra, CEO da Finder, engenheira responsável pelo produto Finder Yesly, sistema que permite conectar luzes e persianas elétricas. “É uma grande honra poder participar dessa premiação que valoriza o desenvolvimento de novas tecnologias para o mercado”, comenta.

Durante o evento foram entregues prêmios para os segmentos de fios e cabos elétricos, linhas elétricas, sistema de conexão e acessórios; painéis, invólucros e barramentos blindados de baixa tensão; dispositivos de proteção, seccionamento e comando de baixa tensão; automação predial; iluminação residencial, industrial, comercial e pública; smart grids; indústria 4.0; energias renováveis, eficiência energética e qualidade de energia; Instrumento de teste e mediação; softwares e aplicativos; áreas classificadas.

Todos as segmentações contaram com premiações divididas em prêmios “ouro, prata e bronze”, além disso durante o evento foi realizada a entrega de um troféu especial para a personalidade inovadora do ano Carolina Fonseca, da empresa Altronic, recebeu a homenagem, com o intuito de reconhecer o trabalho que tem se destacado pela inovação tecnológica em sua área de atuação. 

Techmei aborda novas tecnologias industriais

Evento promovido pela Abimei contou com temas como indústria 4.0, robotização e novas tendências no setor

 

A capital paulista sediou nos últimos dias 14,15 e 16, o Techmei, maior congresso de tecnologia industrial do Brasil, promovido pela Abimei (Associação Brasileira dos Importadores de Máquinas e Equipamentos Industriais). O evento foi realizado no hotel Tivoli Mofarrej e contou com 14 palestras que abordaram as principais práticas e tendências do setor industrial, além de debates que incluíram a participação de representantes de grandes empresas do setor e autoridades do governo.

Diversas práticas, tendências e novas tecnologias foram apresentadas por executivos do setor como: Marcelo Garbelotti (GF), Valdecir de Oliveira (GRV Software), Marco Latarola e Carlos Palugan (Doosan), Reinaldo Bonilha (PR2 & han’s Laser), Marcos Ribeiro (Dardi), Fabio Muzzi (Sumitomo Demag), Vinicius Cardoso (Yaskawa), Luiz Bronca e Diogo Corazza (Trumpf). “Os temas apresentados na Techmei foram essenciais para mostrar aos presentes quais as oportunidades disponíveis no mercado e o que está por vir para que a indústria nacional possa se tornar mais competitiva”, comentou Corazza. 

Entre os temas abordados estiveram assuntos em evidência na atualidade como automatização e robotização, indústria 4.0 e novas tecnologias em máquinas e equipamentos para o segmento. O congresso também contou com a palestra “A Necessidade da Tecnologia Global para Melhoria da Competitividade e Produtividade da Indústria Brasileira”, ministrada pelo professor e responsável pela área econômica da Abimei, Otto Nogami, com debate subsequente que envolveu a participação de Caio Megale, Secretário de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação, Marilia Garcez, da ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial) e Flávio Paiva, CEO da IPC Brasil. 

Paulo Castelo Branco e Ennio Crispino, ambos representantes da Abimei, discutiram em painéis a importância de trazer tecnologia global para melhorar a competitividade e produção industrial brasileira. Um dos tópicos levantados foi a  falta de mão de obra qualificada e como a ausência de treinamentos retarda os avanços tecnológicos no Brasil. “É preciso fazer o Brasil se tornar atrativo para investimentos e competitivo, só assim a indústria crescerá novamente”, sinalizou Paulo em um dos debates sobre os conceitos da indústria 4.0. 

Governo zera impostos de importação de 532 produtos

Na última sexta-feira (20), entrou em vigor uma nova medida do governo que zerou o imposto de importação de 498 bens de capital e 34 bens de informática e telecomunicações, com o objetivo de atrair investimentos para o País, o modelo é válido até dezembro de 2020. A decisão foi tomada pela Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia, por meio das portarias n° 2.023 e 2.024.

Entre os itens que foram beneficiados com a medida estão máquinas e equipamentos industriais que não são fabricados no Brasil, todos na condição de ex-tarifários, que consiste na redução temporária da alíquota do imposto de importação de bens de capital (BK), de informática e telecomunicação (BIT), assim grafados na Tarifa Externa Comum do Mercosul (TEC), quando não houver a produção nacional equivalente.

Atualmente esses bens são tributados em 14%, mas juntamente com impostos estaduais e federais, os investimentos acabam com uma carga tributária adicional de até 40% do valor final. A nova medida reduzirá o custo dos investimentos nas fábricas e nos processos produtivos, permitindo o abastecimento do mercado interno com maior facilidade e rapidez, além da melhoria da qualidade dos bens manufaturados, pois a competitividade industrial aumentará.

Segundo o ministério da Economia, desde o início do ano, já foram mais de 2.300 produtos que tiveram a alíquota de importação zerada, com o objetivo de incentivar a modernização e baratear os custos de investimentos nas fábricas no Brasil.

Confira a lista de produtos 

 

China Machinex e China Homelife Brazil 2019 ocorrem de 17 a 19 de setembro, em São Paulo

Entre os dias 17 a 19 de setembro ocorre simultaneamente em São Paulo as feiras China Machinex e China Homelife Brazil 2019 – considerada a maior feira de bens de consumo chineses no Brasil para empresas brasileiras e chinesas que procuram fazer negócios no País. Os eventos acontecem no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, localizado na Rodovia dos Imigrantes.

A Abimei (Associação Brasileira dos Importadores de Máquinas e Equipamentos Industriais) está apoiando os eventos, que contarão com mais de 800 empresas expositoras, que trarão lançamentos de produtos, ofertas especiais e oportunidades de negócios entre empresários brasileiros e a indústria chinesa, com o auxílio de um time de consultores de importação e tradução gratuita.

Além disso, a feira terá espaço dedicado para os segmentos de: maquinário, eletrônicos de consumo, eletrodomésticos, móveis, agricultura e alimentos, produtos para casa, têxteis e vestuário, materiais de construção e presentes.

A China Machinex e China Homelife Brazil 2019 são organizadas pela Meorient e Expo Solutions, e irão receber visitantes não só do Brasil, mas também de países vizinhos.

Anualmente os eventos são realizados em 12 países, incluindo Turquia, Polônia, México, Egito, Nigéria, Jordânia, África do Sul, Cazaquistão, Quênia, Emirados Árabes (Dubai) e Índia, além do Brasil. A feira conecta mais de seis mil fabricantes chineses com mais de 80 mil compradores em mercados emergentes.

725def1d-df87-4535-888e-39d91db3e2b2

Taitra promove em São Paulo encontro de negócios com empresas de tecnologia de ponta de Taiwan

Aconteceu em 2 de setembro, no Hotel Meliá Paulista em São Paulo, o Encontro de Negócios com Taiwan com a participação de uma delegação multissetorial composta por 14 empresas de alta tecnologia e produtos da indústria e comércio de Taiwan cujo objetivo é identificar importadores, distribuidores e representantes para joint-venture no mercado nacional.

Anualmente, Taiwan promove diversas missões comerciais muito disputadas por suas empresas acostumadas a virem ao Brasil para realizar negócios. Esse interesse é movido pela consideração do potencial do mercado brasileiro, bem como pela consolidação de parcerias firmadas com as empresas nacionais.

Dentre as empresas participantes deste evento, algumas visitam frequentemente o Brasil nas missões organizadas pelo Taitra como Sungreat General (autopeças), Taiwan Hong Yee (têxtil, sacaria e tela anti-insetos) e Palmary Machinery (retificadoras).

Taiwan é um dos principais parceiros econômicos do Brasil na Ásia. Os produtos líderes de exportação do Brasil para Taiwan são: minério, soja, milho, madeira, aço, algodão, couro e granito. O Brasil é o décimo oitavo maior parceiro comercial de Taiwan. Já os produtos que Taiwan exporta para o Brasil são: equipamentos elétricos, equipamentos de registro, LCD, produtos siderúrgicos e produtos de plásticos.

Setores da reunião:

  • Química
  • Têxtil e Fios
  • Ferragens
  • Maquinários e peças
  • Autopeças, Motopeças e Acessórios
  • Elétrico, Eletrônico e Informática

Alguns destaques deste evento são produtos para Cidade Inteligente como a empresa Team Young Technology, que produz sistema remoto inteligente via RF sem fio e Mega-Link que atua com câmera inteligente de sistema de segurança residencial e comercial; monitoramento remoto sem fio por wi-fi com sensor noturno, alerta sonoro e detector de movimento.

A Taitra é entidade semigovernamental sem fins lucrativos, com objetivo principal de promover o comércio bilateral Taiwan-Brasil, com mais de 60 escritórios espalhados pelo mundo.